top of page
Jesus Cristo (…) fez-Se pobre por vós (5).png
PARÓQUIA SANTO ANTONIO

História da Paroquia Santo Antônio 

A NOSSA HISTÓRIA COMEÇOU ASSIM:

      No ano de 1928, Frei Gaspar de Módica já pisava estas terras e no dia 01/09/1929 celebrou a primeira missa em Cabeceira de Mantena no Rancho do Sr. Ovídio.

     Em 30/07/1930, Frei Inocêncio celebrou Missa na casa do Sr. Sebastião Lucas e num pequeno afluente em Bom Jesus de Mantena.

    Frei Inocêncio e Frei Gaspar tomaram conta da região de Mantena de 1933 a  1938, período em que enfrentaram muitas dificuldades.

       No período do Contestado, época de muitos conflitos,

Frei Inocêncio, sem hospedagem, deixou Mantena, retornando

em 1942. Com o propósito de propagar o bem, conhecer e

conservar a integridade do território, Frei Inocêncio visitou

vários outros lugares até setembro de 1943, fazendo o percurso

a cavalo.

Primeira celebração da Paroquia Santo Antônio

A INSTALAÇÃO DA PARÓQUIA DE SANTO ANTÔNIO:

   Em 05/02/1944, chegou em Mantena Padre Mateus, o primeiro Vigário da Freguesia de Mantena, nomeado pelo Bispo de Araçuaí Dom Frei José de Haas. Padre Mateus foi acolhido pelos senhores Orlando e Augusto Mattedi e encontrou a cidade em completo abandono religioso.

Em 06/02/1944, a recém-instituída Paróquia de Santo Antônio celebrou a primeira Missa,  onde estava presente o primeiro Prefeito Municipal de Mantena, Sr. José Fernandes Filho.

Frei Inocêncio e a Primeira procissão da Paroquia Santo Antõnio

Em 26/02/1946, Padre Henrique Huben foi nomeado Vigário Paroquial Cooperador. Instalou-se em um armazém por não ter casa paroquial e encontrou a igreja praticamente sem nada para celebrações. Com boa vontade, pediu ajuda para comprar materiais sagrados. Em Junho, realizou a Festa do Padroeiro com a Trezena de Santo Antônio. O dia 13 foi então decretado feriado municipal. 

CONSTRUÇÃO DA MATRIZ...

 Padre Henrique juntamente com uma comissão providenciou  o lugar e materiais para a construção da futura Matriz.
     A Comunidade se fez presente em todos os momentos desempenhando o seu papel com muita dedicação

FORTALECENDO A PARÓQUIA...

Em 07/04/1949, tomou posse o 3° Vigário da Paróquia, Frei Inocêncio de Cômiso, que teve a iniciativa de providenciar a Casa Paroquial.
    Em 1951, o 4° Vigário, Frei Jorge de Módica, fundou a Pia União das Filhas de Maria autorizado por Dom José de Haas. Neste período prestaram serviço a paróquia também, Frei Angélico, Frei Alfredo e Frei Raimundo.

Construção da Paróquia Santo Antônio

    Frei Daniel de Mineo, 5° Vigário, tomou posse em 10/04/1960 e aqui permaneceu por três anos, sendo substituído por Frei Henrique Maria Coração de Jesus. O mesmo ficou por nove anos na direção da Paróquia e como Diretor do Colégio Castro Alves. Neste período, Frei César foi transferido para Mantena onde assumiu a direção do Colégio.
    Foram também Vigários da Paróquia Frei Benjamin de Ibiraçu e Frei Paulino Fabris. Tiveram como colaboradores Frei Geraldo e Frei Eustáquio.
    Em 15/06/1980, foi recebido com uma grande festa o Bispo Auxiliar de Teófilo Otoni Dom Antônio Elizeu Zuqueto, que aqui residiu até 1983, sendo substituído por Padre Joel Ferreira da Silva, nomeado Vigário Episcopal.

TEMPOS ATUAIS...

Com muita luta e dedicação, assumiram também a direção da Paróquia: Padre José Anatólio- 1985; Padre Elizeu- 1985; Frei Honório- 1987; Padre Jaime- 1992; Padre José Carlos- 1993; Frei Nilmar- 1995; Frei Benedito- 1996; Padre Aureliano- 1998; Frei Jorge Veiga- 2003; Frei Honório- 2004; Padre José Anatólio e Padre Erivelton- 2005; 2007-2009- Padre Zilmar e Padre Devanil neste período trabalharam como Vigário Paroquial e desde 2007 o Paróco Aurildes; Padre João Marcus 2020 - 2021; Atualmente Padre Wagner e Padre Matheus como Vigário Paroquial. 

     

OBJETIVO GERAL DA IGREJA DO BRASIL

EVANGELIZAR no Brasil cada vez mais urbano, pelo anúncio da Palavra de Deus, formando discípulos/as de Jesus Cristo, em comunidade eclesiais missionárias, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, cuidando da casa Comum e testemunhando o Reino de Deus rumo à plenitude (Diretrizes Gerais - CNBB - 2019 - 2023)

OBJETIVO GERAL DA IGREJA PARTICULAR DE TEÓFILO OTONI

EVANGELIZAR na diocese, a partir do Encontro com Cristo, na força do Espírito, numa ação missionária eficaz dos Batizados, gerando fidelidade nos evangelizados, alcançando os que se afastam da vida eclesial e os que não conhecem Jesus Cristo ou O recusam; chamando-os  a se inserirem na comunidade sustentada pelos pilares da Palavra, do Pão, da Caridade, da ação Missionário e a cuidarem da casa comum. 

OBJETIVO GERAL DA PAROQUIA SANTO ANTÔNIO

COMPROMETER com a missão que nos foi confiada e sob a proteção do nosso Padroeiro Santo Antônio, ver Jesus - Caminho, Verdade e Vida - e mostrar o seu rosto como a nossa própria vida e assim: evangelizar para promover a dignidade da pessoa, preservar e fortalecer a família, renovar a comunidade e formar o povo de Deus, para a construção de uma sociedade justa, solidária, misericordiosa, através do serviço, diálogo, anúncio e testemunho de comunhão, a fim de que, à luz da evangélica opção pelos empobrecidos, caminhemos de forma participativa para o Reino definitivo. 

BRASÃO PARÓQUIA SANTO ANTONIO

ESTRUTURA DO BRASÃO

  • Cruz Hastil ou Processional (em ouro, adornada em rubis): segundo as normas heráldicas, é utilizada para representar graficamente a categoria "paróquia". Ela, que abre e encerra as celebrações eucarísticas, aparece como o símbolo maior daquele a quem adoramos e servimos, nosso Senhor Jesus Cristo e, por isso, é o primeiro elemento descrito, pois, por excelência, mostra-nos o Cordeiro Imolado e recordando-nos sua Divina Encarnação, seu Paixão e Morte Redentora e sua Gloriosa Ressurreição.

  • Moldura de cor prata: A moldura escolhida para o repouso do escudo é de tradição eclesiástica, isto é, traz características artísticas próprias para brasões paroquiais. Esta moldura orna  o brasão como adorno substancialmente importante na composição da obra, pois, nos lembra de que todos nós, como cristões, nação santa e sacerdotal em Cristo Jesus, devemos sempre adornar, espiritualmente, com nossas orações, súplicas e louvores o Trono de Deus Pai; 

  • Listel (flâmula) : É a faixa que circunda o escudo, nela vemos a identificação literal da Paróquia e a cidade a qual está situada. Registra a data de significativa relevância histórica "06 de fevereiro de 1944", data em que foi celebrada a primeira missa na recém instituída Paróquia Santo Antônio de Pádua.

SÍMBOLOS INTERNOS DO BRASÃO 

  • Tau: Era um sinal querido por Francisco e, portanto, é adotado pelos seus seguidores. É o sinal concreto de uma devoção cristã, mas sobretudo um sinal  de vida no seguimento do Cristo pobre e crucificado. 

  • Lírio (ao lado do Tau): representa a castidade e pureza de coração vividas por Santo Antônio. Simboliza também a estação do ano no qual o santo morreu, o verão no hemisfério norte.

  • Pães: Lembram a vida de doação e serviço de Santo Antônio junto aos pobres e humildes. Além disso, representa um dos vários milagres feitos por Santo Antônio durante sua vida. Em algumas obras vê-se o santo distribuindo o "pão dos pobres". Essa é uma característica mais recente , do século XiX. Surgiu durante uma época de muita fome na Europa. 

  • Eucaristia (acima dos pães): No nosso brasão vem nos lembrar que a Eucaristia é o ponto central da vida Paroquial. A Eucaristia é a fonte na qual a Paróquia busca seu sublime e sacrossanto alimento que traz força e vigor pra caminhada dos discípulos e missionários. 

  • Monograma de Maria, ladeado por 12 estrelas: Símbolo da Virgem Maria vem fazer referência à grande devoção que os fiéis de nossa Paróquia têm pela Virgem Santíssima, coroada como Rainha do céu e da terra. Além disso, nos lembra a presença marcante de Nossa Senhora na vida de Santo Antônio, pois ela remete ao menino Jesus. A Virgem Maria também é padroeira da Diocese de Teófilo Otoni. As 12 estrelas nos recordam a passagem de Apocalipse (12,1 (atribuída à Nossa Senhora ): "Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas."

  • Bandeja com os olhos e a Palma: Símbolos que representam Santa Luzia, faz referência à devoção muito presente entre os fiéis de nossa paróquia.

ESMALTES (CORES)

O Escudo está no padrão esquartelado (quatro partes), com 4 esmaltes (cores): 

  • Sépia (Marrom): Recorda a cor da hábito usado por Santo Antônio, que era pertencente da ordem Franciscana. O hábito marrom simboliza a certeza de sua fé em Jesus Cristo e sua morte para a vida mundana.

  • Gules (Vermelho): A cor vermelha simboliza o sangue derramado por Jesus Cristo e pelos mártires que deram sua vida na evangelização, além de indicar a caridade inflamável de Santo Antônio de Pádua. Representa também as virtudes da fortaleza,  bons cuidados, valorosidade, fidelidade, alegria e honra, que encontramos em Santo Antônio.

  • Azure (Azul): Na arte cristã, bimilenar, o azul sinaliza a humanidade do Filho de Deus. Em nosso brasão, lembra as festas de Nossa Senhora, como rainha do céu. Em Santo Antônio recorda as seguintes virtudes: justiça, cuidado pela doçura, lealdade, inocência e Piedade.

  • Ouro (Amarela): O amarelo, o ouro e o sol simbolizam a união da alma a Deus, a luz revelada aos profanos, sendo o amarelo, o ouro e o sol os três graus dessa revelação. Em Santo Antônio nos recorda a virtude da caridade.

ENCONTRE SUA FÉ

A Paróquia Santo Antônio é um ótimo lugar para encontrar sua fé e crescer na comunhão com Deus. Evangelizar para promover a dignidade da pessoa, preservar e fortalecer a família, renovar a comunidade e formar o povo de Deus, para a construção de uma sociedade justa, solidária, misericordiosa, através do serviço, diálogo, anúncio e testemunho de comunhão, a fim de que, à luz da evangélica opção pelos empobrecidos, caminhemos de forma participativa para o Reino definitivo. 

bottom of page